A Trapézio usa cookies para personalizar a comunicação e melhorar a sua experiência no site. Ao continuar navegando, você concorda com a nossa Política de Privacidade.

Neiliane Araujo


Neiliane Araujo, natural de Taguatinga - DF, vive e trabalha em São Paulo. Formou-se em Artes Plásticas no Instituto de Artes, na Universidade de Brasília (IdA/UnB) e frequentou diversos cursos e oficinas no campo da arte, tanto em Brasília como em São Paulo.

Atualmente trabalha com as linguagens do desenho, colagem e instalação. Utiliza papéis e objetos que já contém informações impregnadas ou impressas e, desde 2018, vem se apropriando também da coleta de papelões que seriam descartados para ressignificá-los no mundo, na medida em que se propõe a criar a partir dos recursos que se apresentam ao seu redor. A abstração geométrica, o acaso e a repetição de determinados elementos e formas são procedimentos artísticos adotados em sua produção. Existe sempre um desejo de rever os padrões e pensar sobre as relações interpessoais, as relações com a economia e o desperdício, assim como observar e valorizar as formas e formatos das coisas.


Durante 2019 foi artista residente 
no Ateliê Coletivo Alex Vallauri, que resultou na exposição individual, em 2020, "Re-formas", na Galeria Mario Schenberg, ambos no Complexo Cultural FUNARTE, em São Paulo.

Integrou uma série de exposições coletivas; entre as mais recentes, estão: "Interações 2" - Anexo Lona, São Paulo-SP (2021), "16º Salão Ubatuba de Artes Visuais", no Centro de Convenções de Ubatuba (Ubatuba - SP, 2019), "Fragmentária", na Galeria Lona, em São Paulo-SP (2019), Arte Londrina 7 "Empresta-me um dos seus dias ”, na Divisão de Artes Plásticas da Universidade Estadual de Londrina - Londrina, PR (2019), "Não Desvie o Olhar" - Casa da Luz - São Paulo, SP (2017), "Nossa Exposição de Desenhos" - Casa da Cultura da América Latina - Brasília, DF (2013), "13º Salão de Artes Visuais de Guarulhos" - Centro Municipal de Educação Adamastor - Guarulhos, SP (2014), "Ícones da Fé" - Porto, Portugal e Viana do Castelo, Portugal (2013) e "Artes e Ofícios Para Todos 1" - Paralela à 30ª Bienal de Artes de São Paulo - Liceu de Artes e Ofícios - São Paulo, SP (2012)  e realizou um projeto de ocupação individual na Galeria de Bolso da Casa da Cultura da América Latina em Brasília DF - "Vi(sita)", em 2009. Além disso, participou de feiras de arte impressa e publicações independentes. Um de seus trabalhos compõe a coleção pública Oficina Cultural Oswald de Andrade – Oficinas Culturais do Estado de São Paulo.

Sobre uma de suas obras exposta na coletiva “Não desvie o olhar”, na Casa da Luz, a artista Thais Ueda escreveu: “(...) Em ‘Intersecções’, a artista constrói a obra como um todo através da união de folhas de papel milimetrado sobrepostos. Dos encontros desse papel surge um corpo de cor, sensual e feminino, quase um fluxo de sangue que circula e tonifica. Nas pinceladas se permitem experimentações e elas florescem onde encontram possibilidades. Não há motivos para seguir uma linha reta, as conexões de multiplicam, logo, a intensidade também.”


     

x